quarta-feira, 24 de março de 2010

Aventuras do meu tempo de mocinha.


Aos sete de setembro de mil novecentos e muito tempo, acredito, nos anos 78/80, juntamos uma turminha, fretamos um ônibus e...rumo ao Rio de Janeiro, cidade maravilhosa...E viva “nois”...
Chegamos atrasados e nossas reservas no hotel já estava fora do prazo de validade..rsss.
perdemos meio dia perambulando pela cidade atrás de outros hotéis.Acabamos dividindo a turma.Parte em Copacabana,parte em Botafogo.
Aproveitamos meio dia de sol e logo começou vento gelado e chuva.
O jeito era ir conhecer o Aeroporto internacional. Não pegamos o endereço de casa...alugamos dois taxi e tentamos aproveitar a viagem de três dias de alguma forma.
Sem contar o mico, alguns meninos ficavam entrando e saindo da porta de vidro, no aeroporto, só pra ve-la abrir...(que vergonha).Mas era zueira.
Quando retornamos, pegamos outros taxis, mas imagine que não sabíamos o nome da rua e pelo nome do hotel o taxista não conhecia(e olhe que não era ruim).
Consegui dizer a ele o nome das travessas e não foi tão difícil.
Minhas amigas do outro taxi só lembraram de dizer que por perto, havia um avião parado. rsrsrs. Imagine que o avião era parte do panorama, e duas horas depois de nós, o povo restante chegou. ( eita caipirada do interior ...que judiação.coitadinhos)
A noite fomos ver o Cristo redentor e é o que todos fazem ao chegar no Rio. Mas não como nós. Chegamos até o topo, com o nosso Ônibus, e dentro dele 70 pessoas. Queriam prender nosso ônibus e até a gente, pensando que ermos irresponsáveis, não sabiam que nós não conhecíamos as regras. Tivemos que descer a pé auxiliando o motorista ( agora vai e agora breca...) queimou toda a lona dos pneus batendo nas laterais das beiras....Que loucura. O cheiro de lona queimada era horrível.
Na noite seguinte, o Gato e o Lagartixa, o Fuminho, Marrom crespo e Marron liso,não recordo se o outro era o Arsênico, se distanciaram de nós para paquerar as cariocas: eles em baixo do prédio e elas no 12 andar. Se perderam na cidade, e só chegaram no outro dia depois do almoço, palidinhos que dava dó.
Na praia encontrei um rapaz muito bonito e ficamos na conversa até que percebi que ele depilava as axilas. Na época me pareceu muito esquisito, hoje não sei se alguém faz isso mas resolvi deixar ele do lado e ficar com minhas amigas, quando percebi que havia me furtado a carteira e meus documentos.
Mas para mim tudo era alegria, tudo era motivo pra rir,me divertir e sonhar.
Qualquer dia conto da viagem para Santos ou Salvador...

3 comentários:

CARLINHA disse...

Parece que vcs foram para o rio de fusca! Rs...
Olha o fusquinha aí do lado da foto... Não é parecido com o que vc tinha?

Bjos

Nair disse...

Que satisfação ter uma amiga escritora,vc coloca amor em seus textos;ameiiiiii!!!
Parabéns.
Bjks

Melanie disse...

Ca,
acho que o fuskinha sentiu saudades e foi atras..
kkkk....

Nair, te gosto muito menina....
volte sempre.

Postar um comentário